São Bernardo encerra atividades da Operação Guarda-Chuva

Entre 1º de dezembro e 15 de abril foram feitos 325 atendimentos e 50 interdições; não houve desabamentos
Lançada em 1º de dezembro, a Operação Guarda-Chuva 2015/2016 da Prefeitura de São Bernardo do Campo foi encerrada no último dia 15 sem registros graves. No período foram contabilizadas 325 ocorrências, das quais 50 resultaram em interdições. Os números são bem menores do que os verificados no início da operação (2010), respectivamente 2.073 e 1.372.
De acordo com a Defesa Civil, do total de interdições, 46 eram imóveis sujeitos a eventos relacionados à chuva e quatro a incêndio. Das 46 casas interditadas, 19 corriam risco de desabamento e 15 de deslizamento. As demais interdições ocorreram pelo risco de queda de muro.
O risco de queda de árvores (69) foi o que mais contribuiu para o total de ocorrências. Desse total, 27 realmente resultaram em queda. Nos casos restantes, a Prefeitura removeu ou concedeu autorização para que o morador o fizesse.
Já do total de chamados (55) relacionados a riscos de deslizamentos de terra, 32 se consumaram, mas sem gravidade. Não ocorreu nenhum desabamento, embora a Defesa Civil tenha feito 31 atendimentos em relação a esse tipo de chamada. Já em relação aos seis casos de alagamentos em trechos de vias, não houve necessidade de interdição de ruas ou avenidas.
Durante a vigência da Operação Guarda-Chuva, a Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania (Sedesc) atendeu 21 famílias, entregou 43 colchões, 42 cobertores e 26 cartões-alimentação. O índice pluviométrico acumulado na cidade no período foi de 728,46 milímetros.
A ação envolveu 12 secretarias, 400 agentes públicos e 160 voluntários treinados de 29 comunidades que integram os chamados Núcleos de Proteção e Defesa Civil (Nupdecs).
A Operação Guarda-Chuva promove ações para orientação e prevenção de situações de risco quanto a inundações, deslizamentos e alagamentos. A iniciativa prevê, ainda, mutirões informativos nos setores de risco, por meio de reuniões com líderes comunitários, conselheiros, em Escolas Municipais de Educação Básica (EMEBs) e Unidades Básicas de Saúde (UBSs).
Conforme destacou o secretário de Coordenação Governamental e responsável pela Pasta de Serviços Urbanos, desde 2009 a Prefeitura vem agindo de forma preventiva para evitar mortes por inundações ou deslizamentos. “Se em 2005 houve o registro de sete mortes por deslizamentos, desde 2010, quando iniciamos a Operação Guarda-Chuva, não registramos nenhuma. Mas, para termos de fato uma cidade mais segura é preciso o envolvimento e colaboração da sociedade, que deve cuidar para que lixo e entulho não sejam jogados nas ruas e em áreas sujeitas a deslizamentos.”
A redução dos casos de deslizamentos, desabamentos e alagamentos se deve a uma série de fatores, tais como as obras de combate a enchentes (Programa Drenar), limpeza de ruas (são varridos 16 mil quilômetros de vias), de 5 mil bocas de lobo, instalação de oito mil lixeiras fixas em postes, implantação de 200 Pontos de Entrega Voluntária (PEV), dez ecopontos e coleta seletiva porta a porta, além de obras de contenção de encostas.
Áreas de risco – A quantidade de áreas consideradas de risco em São Bernardo, que podem sofrer escorregamentos, inundações ou alagamentos, diminuiu de 63, em 2010, para 42, em 2014. É o que indica o mapeamento feito pela Prefeitura por meio do Plano Municipal de Redução de Riscos (PMRR). Ainda de acordo com o levantamento, houve redução na quantidade de setores de risco na cidade, que passou de 203 para 130 no mesmo período.
A redução é resultado de obras para a eliminação de situações de risco, como o tratamento de encostas e estabilização de taludes e a remoção de 1.980 famílias de áreas de risco. Essas famílias foram encaminhadas aos programas habitacionais da Prefeitura e parte delas já foi contemplada, pois desde 2009 a atual Administração já entregou 4.832 moradias.
O PMRR também apontou a necessidade de 61 obras para eliminar situações de risco na cidade, sendo que 37 já foram entregues, cinco devem ser concluídas ainda no primeiro semestre de 2016 e outras 19 estão em fase de contratação. As intervenções beneficiam mais de 7.700 famílias que estavam em áreas de risco.
fonte: http://www.saobernardo.sp.gov.br

0 comentários:

Sothonprint

Blog Desenvolvido Por SothonPrint Identidade Visual